A realidade de Carlos e Thiago de André Pinho

Ir em baixo

A realidade de Carlos e Thiago de André Pinho

Mensagem  Rapharc em Ter 15 Set 2009, 18:32

Este conto é algo que o André tem todos os direitos autoriais já eu apenas estou reproduzindo-o a vocês. Tanto eu quanto o André, ambos somos bolsistas do PIBID(Programa de Bolsa Institucional de Iniciação à Docência) e este conto foi algo postado pelo André em num ambiente do próprio PIBID.

"Em uma fazenda a 2 horas da cidade Ricardo vivia com seus dois filhos, Thiago e Carlos. Thiago adorava ajudar seu pai no trabalho, ordenhava as vacas, plantava e ajudava a criar os outros animais, tudo isso o fascinava, Ricardo tinha muito orgulho de seu filho, que futuramente ficaria em seu lugar na fazenda. Carlos diferente de Thiago, não tinha interesse por tais atividades, ele passava horas a rabiscar em folhas: desenhos, figuras, até mesmo caricaturas. Dizia que quando fosse maior gostaria de ser pintor.

Ambos irmãos estudavam em uma escola que ficava a 30 minutos de onde moravam, e apenas faltavam a aula em situações muito raras. A escola estava sem um professor de química a alguns meses, devido a distância poucos se candidatavam a trabalhar na escola. Thiago e Carlos não esperavam a hora de que tal professor aparecesse, pois assim poderiam tirar várias de suas dúvidas relacionadas aos assuntos de seu interesse.

Certo dia apareceu uma professora que então foi contratada para preencher essa vaga. Ela se chamava Lídia, e ao saber que iria dar aulas em uma escola rural, se preparou ao máximo procurando trazer assuntos que envolvessem o dia a dia de seus estudantes.

- Que preocupação, preciso pensar em relacionar os conteúdos de química a vida rural, creio que irei falar do metano produzido pelas vacas, ou quem sabe da influência do pH do solo nas plantações, talvez eu fale da monocultura...

Ao chegar o primeiro dia de aula, Lidia foi bem cedo para esperar seus alunos, não demorou muito todos estavam lá.

-Poxa que legal Thiago, finalmente temos uma professora de química - disse Carlos.

Lídia se apresenta e inicía a aula:

- Vamos falar hoje um pouco do efeito estufa, do pH da terra em que as famílias da maioria de vocês utilizam como meio de vida, e também um pouco da monocultura ligada a produção de biocombustivel.

Os alunos ficaram em silêncio, Lídia então questiona:

-O que foi..? Não estão gostando da aula?

Carlos levanta a mão e responde:

-Professora...não temos muito interesse nesses assuntos...

-Mas como não?!!?- exclama Lídia. Vocês todos moram na fazenda, veem e lidam com essas coisas todos os dias, que assuntos voces possuem interesse então?

Muitos responderam, as respostas iam desde foguetes, bombinhas até mesmo a composição das tintas usadas para pintar, dúvida que Carlos sempre quis ter a oportunidade de perguntar.

Lídia fala:

- Mas como, estou trazendo assuntos que fazem parte da realidade do lugar em que todos aqui vivem.

-Mas não são a nossa realidade professora.- responde Carlos"


Primeiramente criei o conto pois é essa a proposta do ambiente, e embora não seja fácil, penso que é um exercício interessante de ser feito. Esse conto traz uma idéia que sempre questiono quando é falada, que é a famosa frase: "trazer a realidade do aluno para dentro da sala de aula".

A pouco estava lendo os diversos significados para o termo realidade, e as diversas visões que as diferentes ciencias possuem em cima da mesma. Mas penso que cada individuo, possui em si uma realidade extremamente pessoal, essa é fruto de seus gostos, de suas alegrias, frustrações, vivências, imaginação e etc. Buscar trazer assuntos para uma sala de aula pensando em localidade, situação social, cor, ou idade, é generalizar uma realidade relativa a uma situação, ou seja, quase que um preconceito. Já vi professores falarem: "é uma comunidade carente, não adianta nem tentar usar recursos tecnológicos". Ou professores que querem abordar as drogas como assunto principal, apenas pelo fato de que a escola fica em um bairro pobre, ou falar do campo, apenas porque o aluno vive em uma comunidade rural. É interessante abordar tais assuntos, mas é necessário primeiramente procurar entender quem se ensina.


Sei que muitos vão discordar, mas enfim, como diria nossa professora Maria:

"O que fazer para mudar o fim da história?"


Penso que esta observação feita pelo André foi perfeita, hoje em dia se fala muito em usar conhecimentos prévios dos alunos, o aluno somente aprende aquilo que deseja aprender, contextualizar o conteudo conceitual com o contidiano e também sobre a realidade do aluno. Sabemos que cada estudante tem a sua realidade e que esta nem sempre depende do ambiente em que estão inseridos, o que pergunto é, será mesmo que nós professores sabemos a realidade do nosso aluno?e será mesmo que uma aula pra ser boa tem de ser desligada do famoso "cuspi e giz"?

Abraço
Raphael Costa
avatar
Rapharc
Admin
Admin

Mensagens : 187
Pontos : 329
Reputação : 0
Data de inscrição : 27/03/2009
Idade : 30
Localização : Rio Grande

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum